Distrito Federal

PCDF deflagra Operação Bad Boyfriend 2

Publicado

em


Nesta manhã (6), a PCDF, por meio do trabalho de investigação da 38ª DP, deflagrou a Operação Bad Boyfriend 2. A ação visou o cumprimento de um mandado de busca e apreensão expedido contra um jovem, de 22 anos, investigado por divulgar fotos íntimas da ex-namorada e criar perfis falsos dela em redes sociais.

A investigação foi iniciada em julho deste ano, após a vítima registrar uma ocorrência policial noticiando que teve um relacionamento amoroso com o autor durante um ano e meio, tempo no qual ele sempre se mostrou uma pessoa excessivamente ciumenta e possessiva e, apesar de nunca ter lhe agredido fisicamente, já havia sofrido agressões verbais e psicológicas.

 A vítima disse, ainda, que deu fim ao relacionamento, contudo o jovem nunca aceitou o término do namoro e, no início de julho, ele, por meio de uma plataforma voltada ao público masculino, começou a conversar com vários indivíduos do sexo masculino, passando-se pela ex-namorada, com mensagens de interesse em relacionamento sexual e fotos-nudes da vítima, porém tornou público o número do telefone celular com aplicativo de mensagens dela.

Em razão da publicidade, a jovem passou a receber várias mensagens no aplicativo, de vários homens desconhecidos. “O acusado causou muitos transtornos à ex-namorada, pois ele postou no próprio status do app de mensagens dele a foto da genitália da vítima objetivando prejudicar a vítima”, conta o delegado-chefe da 38ª DP, João Ataliba Neto.

Durante as buscas realizadas na residência do suspeito, em Taguatinga Sul, os investigadores apreenderam aparelhos eletrônicos e algumas pequenas porções de drogas adquiridas para consumo pessoal.

No aparelho celular dele, foram localizados vários arquivos (fotos e vídeos) íntimos da vítima e do casal, entre os quais a fotografia divulgada no status do celular do envolvido.

READ  Dia Internacional das Crianças Desaparecidas

“Pelos atos praticados, o autor foi indiciado pelos crimes de divulgação de fotografia de nudez sem o consentimento da vítima e de falsa identidade. Somadas as penas, podem alcançar os nove anos de prisão”, destaca o delegado.

O homem ainda foi autuado em flagrante pelo crime de posse de drogas para consumo pessoal e foi liberado após assinar o termo de comparecimento à Justiça.

Assessoria de Comunicação/DGPC

#PCDFemAção

PCDF, excelência na investigação

Comentários do Facebook
Continue lendo
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NORTE

NORDESTE

CENTRO-OESTE

SUDESTE

SUL

MAIS LIDAS DA SEMANA